Porque um negócio de marketing multinível precisa ter produto

Você já ouviu alguém dizer que “uma empresa de multinivel legítimo tem que ter produto”? Sim? E qual a sua opinião? Ah, eu já sei… E também concordo que pra um negócio ser um “negócio”, um produto se faz necessário. Mas porque isso é uma verdade?

Será que uma empresa precisa de um produto para não quebrar? Será que o produto é o que torna o negócio “sustentável”? O que você acha? Muitos dizem que “empresa que não tem produto é pirâmide” e por isso quebra… Mas o que querem dizer quando afirmam isso? Será que o fato de ter um produto faz com que um esquema deixe de ser pirâmide, é isso? Será que a ausência de produtos é o que faz um negócio ficar vulnerável?

Eu não penso que seja… Mas, antes que você comece a pensar que eu sou um defensor de esquemas de pirâmides sem produtos, quero que entenda que meu único objetivo ao defender o ponto de vista que apontarei a seguir é causar polêmica… 😈

Eu tenho certeza de que um negócio tem que ter produto, mas não pelo motivo que tantos falam. E com a polêmica que pretendo criar aqui, acho que você também pode raciocinar sobre isso por conta própria, ao invés de ficar ouvindo toda a balela que se conta por aí. Eu acho que o Marketing Multinivel melhora a medida em que as pessoas sabem julgar por si só o que de fato ele é, ao invés de ficarem seguindo tudo o que ouvem. E com esse tipo de artigo controverso, o que desejo é fazer você refletir… Então vamos ao que eu penso e depois você tira suas conclusões.

Pense comigo… em qualquer operação comercial, boa parte dos custos de uma empresa (senão a maior) está relacionada a produção e logística dos bens de consumo que essa empresa oferece, concorda? E o que pode fazer uma empresa quebrar? Uma única coisa: custos maiores que receita! Então vamos lá: se uma empresa elimina os custos com fabricação e logística, ela elimina drasticamente as chances de gastar mais do que fatura, ok? Por outro lado, se ela não tem produtos, não tem o que vender e portanto não tem receita, certo? Ou seja, não existe empresa.

Mas, suponhamos que alguém crie um esquema financeiro onde pessoas topem pagar apenas para entrar “no negócio”, mesmo que não recebam nenhum produto em casa. O que será que acontece? (Isso é o sonho de qualquer dono de pirâmide, não é mesmo!?) Vamos lá, continue pensando… O que aconteceria? Será que o esquema quebraria mesmo?

Vamos um pouco mais além… Num esquema com promessa de ganhos fixos mensais, a matemática realmente não fecha e eu acho que os dias são contados. Mas, e se fizéssemos esse teste de retirar os produtos numa empresa que tem um plano de compensação comprovadamente sustentável, tal qual o das “empresas legítimas”?

Por exemplo, imagine você, que desenvolve o MMN de uma empresa que julga séria, que tá há anos no mercado, que tem produtos, uma matemática de bonificação sustentável, um plano de carreira, etc. Desconsidere as empresas que você entende por “impróprias”, digamos assim, e que você acha que podem quebrar a qualquer momento. Pense na sua empresa, com toda a sustentabilidade que ela tem, se deixasse os produtos de lado e começasse a girar apenas dinheiro…

…Simplesmente dinheiro entrando e dinheiro saindo, com as mesmas formas de ganhos, com a mesma matemática de bonificação, etc. Você acha que ela quebraria? Te encurralei, né!? Claro que você tem que responder que não. Pois se há possibilidade dela quebrar assim, então seria muito mais fácil quebrar tendo os custos que tem hoje, com produção e logística. Entendeu onde quero chegar?

E se o que acabei de falar faz sentido pra você, então você concorda que é possível chegarmos a um modelo de pirâmide que nunca quebre, ou seja, um negócio “sem produto”, porém, sustentável. Se pegarmos o plano de sua empresa, que você julga perfeito, e todas as pessoas concordarem em continuar pagando sem receber nenhum produto (e, acredite, existem pessoas que concordariam), apenas para participarem do “negócio”, é possível criarmos uma pirâmide com sustentabilidade. Bingooo!!!

Então, se encontramos a fórmula mágica, por quê não legalizamos isso de uma vez, resolvemos todos os problemas financeiros da humanidade, e todos vivemos felizes para sempre? Porque essa exigência das autoridades para que um negócio tenha produto, se podemos ter um joguinho “sustentável” de dinheiro atrás de dinheiro onde, teoricamente, todos ganham?

Simples: o fato é que não existe possibilidade alguma de um dia criarem um esquema onde todos ganhem. Matematicamente isso é impossível. E o produto entra nessa história pura e simplesmente para garantir que as pessoas se conformem em receber pelo que pagaram.

produtos marketing multinivel

Na verdade, em primeiro lugar, todo produto existe para atender uma necessidade de quem o compra, e no nosso setor essa também deve ser a premissa básica do produto. Mas como no Multinivel tudo é deturpado em função da possibilidade de ganhos financeiros, além de suprir uma necessidade do cliente, o produto se faz necessário para delimitar onde terminam os direitos de quem o adquiriu. Em outras palavras, quando você coloca seu dinheiro numa empresa de MMN você tem que receber algo em troca, de valor correspondente ao dinheiro que você pagou, para que se configure uma relação de compra (não investimento) e se encerrem aí seus direitos de consumidor perante a empresa.

Você paga, recebe o produto e pronto. Você e a empresa estão quites! Você não deve nada a ela e ela não lhe deve nada. E assim é com todos os distribuidores: seus direitos se encerram na compra de um produto. Todo o resto, os pagamentos, os prêmios, tudo o mais são extras que a empresa lhe dá porque julga que você merece. Mas você não tem DIREITOS. Por isso mesmo que nome dado ao que você recebe é BÔNUS e não comissão, salário ou qualquer outra coisa que conote obrigação por parte da empresa. Simplesmente, bônus! O que podemos entender, digamos, como um plus..

Mas porque isso? Simples: isso é o que torna a relação empresa versus distribuidor sustentável. Como assim? Você não pode colocar seu dinheiro numa empresa de MMN e ficar com aquela sensação que tem quando coloca seu dinheiro numa poupança. Quando você deposita seu dinheiro na poupança, sua sensação é a de que o banco lhe deve algo, não é mesmo? Pois bem, a sensação que você deve ter quando coloca seu dinheiro numa empresa de MMN é a de quem foi numa loja de roupas, comprou uma calça e voltou pra casa. Ou seja, seu dinheiro ficou lá e agora é da empresa. E você está satisfeito com sua calça. Não há nenhuma expectativa além disso.

Esse tipo de relação é o que dá sustentabilidade ao Marketing Multinível: a relação de venda. E porque isso dá sustentabilidade? Suponha que você compre seu kit de distribuidor hoje e no dia seguinte sua empresa feche… E agora? A empresa estava lhe devendo? Não! Você pagou, recebeu seu produto e pronto. É a velha e conhecida relação do “toma lá, dá cá”.

E é por isso que um produto deve existir numa empresa de Marketing Multinivel, pra que você não tenha a sensação de que a empresa está lhe devendo algo. Como assim? Imagine que você entre num MMN sob a perspectiva de investimento, sem comprar nenhum produto, ou mesmo pagando por um produto de fachada, que pra nada terá utilidade. Você vai pagar sua adesão ao negócio e voltará pra casa com a sensação de que tem um crédito naquela empresa, pelo qual deverá ser ressarcido. Ou seja, você não entende que a obrigação comercial que a empresa tem com você acabou na entrega do produto, pois o que você quer é seu dinheiro de volta – e seus ganhos. Se, por acaso, essa empresa fechar no dia seguinte a sua compra, você se sentirá lesado. E realmente foi!

O fato é que se você for ler a fundo o contrato de qualquer empresa séria de marketing de rede, verá que tudo funciona como eu falei: elas não tem nenhuma obrigação com você. O distribuidor é simplesmente um cliente que comprou o produto, gostou, indicou para uma terceira pessoa e a empresa entendeu que ele merece um BÔNUS por isso. Nada mais que um bônus! E é por isso que as autoridades exigem que exista um produto: para que, se porventura, sua empresa feche as portas, ou pare de lhe pagar os bônus que ela ache que você merece (ou casse seu ID :lol:), você não sinta que foi enganado. Porquê? Porque você já recebeu seu produto e ponto final.

Esse é o meio que as autoridades têm de proteger as pessoas que colocam seu dinheiro simplesmente pensando em aumentá-lo. Ou seja, pessoas que querem comprar dinheiro com dinheiro. Será mesmo que é possível comprar 10 mil reais com apenas 3 mil reais? Isso é um negócio legítimo? Reflita você mesmo sobre isso… Não é algo difícil de se chegar a uma conclusão, não acha? Mas se o dinheiro é seu e mesmo assim você deseja correr o risco, o que as autoridades tem a ver com isso? Qual o direito que elas tem de intervir nesse caso? Simples: se você perder seu dinheiro numa operação assim, a quem você vai recorrer? Entendeu?

Então é isso: para além do produto ser necessário para caracterizar uma atividade comercial, ele é imprescindível para fazer com que o Marketing Multinivel não seja uma atividade de risco, como muitos pensam que é. No artigo anterior eu falei justamente sobre o fato do MMN não ser um negócio de investimento, mas sim um negócio de vendas. Num negócio de investimento, em maior ou menor grau, existe um risco. E nos esquemas piramidais disfarçados de MMN também! Mas num Marketing de Rede legítimo não deve haver risco: é, como já falei, “toma lá, dá cá” e estamos quites.

Assim, amigo, com esse artigo espero causar alguma polêmica ao mostrar que um esquema financeiro pode se manter sem produto, sim. Mas não para lhe incentivar a aderir “negócios sem produtos”. Claro, eu sei, eles são muito tentadores, pois como não tem custos com produção e logística, sobra muito dinheiro para as bonificações. Mas minha intenção é fazê-lo refletir sobre o quanto isso é arriscado, pois enquanto você apenas ouve as pessoas dizendo que “tem que ter produto para a pirâmide não quebrar”, mas sem lhe explicar direito que, mais que a pirâmide, você é quem corre todo o risco ao pagar e não levar nenhum produto (ou serviço) pra casa, aquela vozinha do “dinheiro fácil” pode falar mais alto.



“Aos vinte e poucos anos eu decidi que iria aprender a “ganhar dinheiro na internet”. Aos trinta ainda não sei quase nada. Mesmo assim, tive a cara de pau de criar este blog para ensinar você como fazer isso.” [...] Continue lendo

{ 19 comentários… Clique aqui para comentar }

  • Robson Nunes 01/04/2015, 10:57 am

    Artigo bacana, parabéns!!

    “Você e feito das oportunidades que teve e das escolhas que fez”
    #cidizlifestile

  • Carli Leite Góes 21/02/2015, 11:47 pm

    Belo artigo, estarei sempre por aqui. Um grande abraço.

  • Ana Paula 08/02/2015, 6:42 pm

    Ola Pablo,
    fantastico seu post…principalmente para aquelas pessoas que assim como eu estão buscam empresas sérias, idoneas para trabalhar. Eu procurei por mais de 8 meses um produto para vender que fosse bom e que fosse montado em uma empresa com sistema de mmn, mas que não fosse uma Telexfree da vida. …mas oque eu encontrei foram promessas, porem as pessoas se matavam em recrutar pontos e no fim do mes,,,,zerava tudo. Encontrei a i9life.
    Uma empresa 100% brasileira, com produtos Nutraceuticos, Shakes, Proteina Whey e também perfumes de qualidade, que não perdem para seus similares importados e que são feitos com essências da Mane (empresa que disponibiliza frangrancias para as maiores marcas mundiais). É algo realmente novo, e acredito que é o modelo de negócio que o nosso país precisa para dar oportunidades reais para as pessoas crescerem. Se alguém se interessar em conhecer mais sobre a i9life pode me encontrar no link

  • Edmilson Lucena Junior 09/12/2014, 12:44 pm

    Muito bom e esclarecedor o artigo.
    Gostaria de acrescentar mais um ponto de vista, o do Governo Federal.
    A defesa do consumidor em geral é uma desculpa para proteger aquilo que o Brasil proteger com unhas e dentes: OS BANCOS.
    Os Bancos são os únicos legalmente autorizados a trabalharem com dinheiro diretamente, ninguém mais pode criar estruturas de negócios que administrem dinheiro pelo dinheiro, mas tão somente os bancos fazem isso.
    Os Bancos tem seus ganhos ligados a esta administração do dinheiro pelo dinheiro, e sempre que um negócio qualquer tira o processo produtivo da administração e circulação de dinheiro, os bancos perdem duas vezes:
    1) Deixam de emprestar dinheiro pra que o parque industrial cresça, e com isso eles perdem oportunidade de gerar lucros com o dinheiro emprestado para as empresas;
    2) Deixam de gerar lucros com dinheiro de consumidores que muitas vezes fazem empréstimos em bancos pra fazer compras, ou deixam de financiar o dinheiro gasto com as empresas de cartão de crédito que obtém o dinheiro dos bancos;
    Mesmo quando os especuladores compram ações no mercado financeiro e ganham somente o sobe e desce da bolsa de valores, os Bancos estão presentes de forma intensa, já que as empresas fomentadas pelos acionistas adquirem bens de produção com o dinheiro dos acionista, bem como pagam os juros abusivos que os bancos cobram de empréstimos pra capital de giro e outros;
    Logo quando se fala em Dinheiro, fala-se em Sistema Bancário, donos do Brasil e do mundo capitalista de forma geral.

  • Claudio Gonçalves 13/11/2014, 12:23 am

    Não sei se posso fazer propaganda aqui, mas tenho acompanhado os textos e os depoimentos, por isso quero dizer para vocês que desenvolvi um sistema que segue a maioria dos desejos dos profissionais de MMN. Um negócio 100% sustentável, tem produto mas não é obrigatório comprar todos os meses, o produto é de extrema necessidade e de auto-giro, com preço competitivo no mercado. O investimento é um único no ANO e depois mais nada, temos bônus de apresentação, bônus de fechamento, um bônus fixo mensalmente durante 12 meses e um bônus infinito na profundidade, gente está pronto o sistema mais avançado e inovador de todos os tempos é 100% Brasileiro com estrutura de empresa e principalmente temos o conhecimento teórico e prático do que estamos fazendo, são 23 anos de pesquisas aprofundadas e analises de comparações entre sistemas de empresas multinacionais e nacionais para poder desenvolver algo muito competitivo com a nossa realidade, bem não quero me prolongar, sou empresário, professor do Senac, Graduado em Ciências Sociais – Sociólogo com Pós- Graduação em MBA em Administração e Marketing, mas o meu orgulho é ser reconhecido como um Especialista em Marketing de Rede. Quem se interessar pelo assunto entre em contato Porto Alegre /RS

  • gilberto david dias 16/09/2014, 10:57 am

    aprendi a amar o markenting , e estou aprendendo com você Pablo quero ser um profissional neste ramo pois é o futuro do Pais , se tivesse um curso sobre markentig eu faria com certeza , mais enquanto isso aprendo com Pablo .
    um abraço

  • Everton Alencar 10/08/2014, 1:21 pm

    Pablo mais uma vez parabéns pelo conteúdo de sua blog, como já disse mais de uma vez você disserta sobre o assunto com muita propriedade, todos seus leitores deveriam lhe agradecer por lhes abrir os olhos quanto aos MMN seja qual for a ideologia, eu antes de trabalhar com a “minha empresa” e ter os resultados que já estou colhendo fui convidado a participar de vários esquemas de pirâmide mais nunca quis me arriscar, mais tenho certeza que muitas pessoas que cairão se tivessem acesso ao teu Blog teriam pensado duas vezes antes de “entrarem” e investirem nesse modelo de negócios. Mais cada um sabe o que faz e arrisca como condiz sua concepção, independente disso desejo sucesso a todos.

  • Leila Rita Soares 13/07/2014, 8:31 pm

    Oi Pablo! Parabéns pelo seu artigo. Não havia visto até hoje uma explicação tão clara do “porquê” de se ter produtos no MMN. Há tempos venho trabalhando com MMN mas a minha maior dificuldade era a falta de tempo, pois, além de ter que falar sobre os ganhos que a empresa oferecia, tinha que convencer as pessoas que a empresa era idônea, que o produto era de qualidade e etc, apesar de todas terem estas características. Agora estou na Polishop e finalmente encontrei a empresa que estava procurando onde só tenho a preocupação de convidar pessoas para fazer parte da minha equipe, pois as pessoas já conhecem os produtos oferecidos. Além disso, depois que a Polishop entrou com a linha de produtos de beleza da Bio Emotion o trabalho ficou mais fácil, pois estamos atraindo para o MMN um público diferente: consultoras de beleza de empresas que não utilizam o MMN.
    Pablo, gostaria de saber a sua opinião sobre a Polishop.
    Abraços…

  • Ana Araujo 12/05/2014, 10:23 pm

    Muito bom Pablo!

  • Brenno 04/05/2014, 10:22 pm

    fantástico, hoje eu vejo que corro risco. Mas e por minha conta! Risco todo negocio tem! Resta saber em que você entra.

  • Ednaldo 18/04/2014, 11:53 am

    Eu acredito que existe um meio termo entre a venda de produtos e ganho fixo mensal, estou falando da prestação de serviços(como uma conta de Energia ou água ). A meu ver é a unica que pode “comprovadamente”gerar uma renda Extra Residual ilimitada e totalmente sustentável dentro das normas Brasileiras de MMN.
    No MMN não trabalhamos com produtos ou GRANA , trabalhamos com pessoas.Grato.

  • Alan Carlos 24/03/2014, 9:43 am

    Rapaz, depois de passar por telexfree e outras no estilo é visivel que esse modelo de negocios não se sustena. No estilo telexfree dificilmente você realiza vendas para fora da rede, e se por ventura a empresa começa a atrasar os pagamentos ninguem mais entra no sistema.

    Numa empresa com produtos fica até mais facil de cooptar novas interessados, pois você consegue realizar vendas fora da rede, esse comprador aprova o produto e acaba se interessando de como vender tambem..

  • Paulo Martins 22/03/2014, 10:58 am

    Gostei bastante deste artigo.
    Muito interessante.
    Descobri hoje este blog e vou segui-lo.
    Neste momento estou num negócio online que já começa a dar frutos.
    Tem um produto que são cursos.
    Gostaria de ter um opinião sua, sobre o mesmo, se for possível.
    Obrigado.

  • wilson 11/02/2014, 4:15 pm

    ACHO QUE UMA EMPRESA SÉRIA QUE DESENVOLVE MMN PODE MATRIZ BINÁRIA COM TRASBORDAMENTO E CONCILIAR PRODUTOS COM UM BONUS DE CADASTRO, E ASSIM SEUS DISTRIBUIDORES GANHAREM COM A ADESÃO SEM PROBLEMA NENHUM, DESDE QUE ELES TENHAM UMA ATIVIDADE DE COMPRAS MENSAL PRA TER RECEITA PARA PAGAR O RESIDUAL, O GRANDE PROBLEMA QUE NÃO FOI ABORDADO AQUI É QUE NÃO FECHA A CONTA QUANDO A EMPRESA TE PAGA UMA FIXO MENSAL, E MAIS BONUS DE ADESÃO.

  • edy marcio 17/01/2014, 7:17 pm

    Trabalho com MMN, e sei que ainda há muito preconceito por causa de empresas que agiram de má fé. porem há muita empresa séria e que podemos ganhar muito com o sistema, na minha opinião o produto é essencial para a manutenção e sobrevivência da empresa de MMN.
    se me permiti eu trabalho com a hinode há varios videos no youtube sobre a empresa que já está há 25 anos no mercado. meu id é 113207. Pablo caso não possa por empresa e id me avise para retirar. parabéns pelo artigo.

  • C 17/01/2014, 1:59 am

    MMN FUNCIONA… MAXIMO 3 NIVEIS… COM PRODUTO REAL.. QUE SEJA UM CONSUMIVEL ESSENCIAL E QUE VENDA CONSTANTEMENTE.

  • get smart 25/11/2013, 6:19 pm

    O produto tem pouco destaque sendo que o foco principal é o “programa de afiliados”.

  • Lucas Mendes 17/11/2013, 7:46 pm

    Parabéns pelo conteúdo seu artigo, também trabalho com MMN e há tempos não encontro um blog que aborda o assunto desta maneira. Nós marqueteiros agradecemos.

    Também tenho informações deste assunto que você aborda no meu site, entrem e confiram:

Deixe um comentário