Ganhar dinheiro na internet tem muito menos a ver com internet do que você imagina

Se você caiu de paraquedas neste blog, provavelmente estava procurando alguma informação sobre o tema “ganhar dinheiro na internet” e, nesse caso, eu sinto-me obrigado a fazer-lhe um alerta. Preste atenção, pois embora seja uma dica simples, e que provavelmente você já saiba, estar atento à isso é algo que pode fazer toda diferença entre o seu sucesso ou fracasso. Eu próprio, embora tenha tido isso em mente durante toda minha caminhada de empreendedor “enxerido” digital 😳 , caí por inúmeras vezes nessa armadilha e perdi muito tempo, energia e o pior: dinheiro.

Então, sem mais delongas, o que quero lhe alertar é para que você entenda que os recursos tecnológicos são apenas meios de alcançar seus objetivos e, portanto, são algo que merece uma fração mínima de sua atenção. Ou seja, em sua jornada como empreendedor digital você irá se deparar com inúmeros recursos e ferramentas online e terá que aprender como usá-los(as), porém, não deve debruçar-se sobre isso como se “tornar-se um expert” no uso dessas ferramentas fosse sua verdadeira finalidade.

Tenha sempre em mente que vender seu produto ou serviço é o que você deseja e que os recursos que você vai utilizar para isso são apenas facilitadores. E, com isso em mente, dedique a maior parte do seu tempo à pesquisa e desenvolvimento de seus produtos e ao planejamento de marketing que terá que fazer para colocá-los no mercado. E muito pouco tempo à aprender como dominar as tecnologias que estão por trás.

Eu falo isso por experiência própria e asseguro-lhe que se você não for perspicaz em policiar-se quanto a isso, vai surpreender-se, inúmeras vezes, a gastar tempo demasiado pesquisando, fuçando e testando ferramentas digitais. Em casos extremos, é possível que você pegue gosto pela coisa e comprometa todo o andamento de seus negócios.

Eu torço para que você seja diferente, mas, se você for como eu, um aficcionado por marketing digital, sobretudo se não tiver uma origem muito ligada a esse tipo de coisa, pode ficar meio, digamos, fascinado com tudo isso. Sim, essa é a palavra que melhor descreve esse tipo de situação: “fascinado”. Que é o caso de deixar-se encantar, maravilhar-se pelo processo por si só. Deslumbrar-se ao ver as coisas acontecendo diante de seus olhos e ficar só nisso… Se você nunca criou um blog, por exemplo e, ao ler um breve tutorial e seguir um passo a passo, você consegue criar um, essa sensação de sentir-se capaz, pode deixá-lo viciado.

Então você pode querer partir para dominar a próxima ferramenta. E a próxima, e a próxima… Você pode ficar obcecado pela sensação de ser um expert em internet e deixar de fazer o que de fato deveria ser feito. Realizar pequenas tarefas com ferramentas que você não imaginava que fosse capaz de dominar, e agora sabe que é capaz, pode vir a ser viciante como um vídeo-game: você sempre quer chegar no próximo nível. Mas nós sabemos que vídeo-games são algo, digamos, não tão produtivos, não é mesmo? Então, isso vira um círculo vicioso e lá se vão horas, dias, semanas, meses – e talvez até anos desbravando o mundo digital. E zero de dinheiro no bolso.

Isso quer dizer que você apaixonou-se pelo processo. E isso é mal, muito mal. Numa empresa, os processos são a maneira de fazer as coisas acontecerem, mas o que mantém esses processos em funcionamento são os lucros. Sem eles, de nada valem os processos. E os lucros são os resultados que tanto a empresa quanto você buscam. Então foque-se no resultado dos seus negócios, pois, a menos que você tenha muito dinheiro pra “torrar” aprimorando seus processos, logo você estará fora do jogo.

Louco com a internet

Lembre-se que a própria internet é uma ferramenta, um meio de fazer seus negócios acontecerem. Mas o que concretizará qualquer negócio é a transação comercial entre você e outra pessoa. Ou seja, por mais que a relação seja virtual, há gente do outro lado. Com isso, eu quero dizer que “ganhar dinheiro na internet tem muito menos a ver com internet do que você imagina”. Tem a ver com gente!

Se tem algo que você tem que se debruçar e aprender sobre, esse algo não são as tecnologias que fazem a internet acontecer, mas sim as estratégias e técnicas que persuadem alguém compra algo – que, por sinal, são as mesmas estratégias e técnicas de vendas fora da internet. Ou seja, ao invés de estudar internet, estude marketing, vendas, psicologia do consumo, coisas assim. Não estou dizendo pra você largar tudo e sair devorando todos os livros que encontrar sobre esses temas. Apenas tento mostrar que eles são mais importantes do que as tecnologias, quando o assunto é fazer negócios online.

As tecnologias existem para que a internet funcione, mas a essência da internet é a comunicação e não as  tecnologias. É a comunicação entre cada pessoa conectada que faz a rede existir e não a troca de dados entre cada computador.

Então, voltando ao assunto, se eu pudesse lhe dar medidas de como organizar seu tempo, eu diria que você deve dividi-lo da seguinte maneira: 

  • 40% do tempo destinado à pesquisa e desenvolvimento dos seus produtos
  • 50% do tempo destinado a estudar e planejar suas estratégias de marketing
  • 10% do tempo ao estudo das ferramentas e implementação do seu sistema

Então, com esses percentuais em mente, não faça como a maioria das pessoas, que focam em aprender a parte técnica da coisa, as tecnologias, e acabam se esquecendo do principal: business & marketing! Sua mente tem que gastar energia pensando em business, em negócios e em como alavancar esses negócios.

Você é um empreendedor e não um programador. Lembre-se: cada macaco no seu galho!

Sim, eu sei, no começo você tem que fazer praticamente tudo. Então, simplifique! Sempre busque as maneiras mais fáceis de implementar seus projetos. Por exemplo, se precisa criar um site, não vá atrás de aprender HTML, PHP ou qualquer tipo de programação. Use uma ferramenta como o WordPress, por exemplo. Se instalar o WordPress é algo difícil para você, então procure algum serviço que já entregue seu blog pronto.

Se vai precisar usar uma ferramenta de email marketing (com certeza, vai), então dê preferência a alguma que tenha bons tutoriais e um suporte que possa lhe ajudar. Busque sempre os caminhos mais fáceis.

Se, porventura, precisar de alguma mão de obra, não contrate um funcionário para isso – essa é a maneira mais complicada e onerosa. Cadastre-se em algum site de freelancer, como o Freelancer.com, por exemplo, crie um projeto e em poucos minutos você terá dezenas de pessoas se oferecendo para realizar seu trabalho. E, dependendo de seu orçamento, eu indico fortemente que tente delegar o máximo de tarefas à profissionais capacitados.

As vezes, por pensar que as coisas são muito caras, acabamos pagando um preço muito mais alto por elas… Se você precisa criar um blog, por exemplo, e criar um projeto no Freelancer.com, verá que os preços que lhe oferecerão serão muito abaixo do custo que você teria ao desperdiçar horas tentando você mesmo fazer. E ao final, verá que seu trabalho de “marinheiro de primeira viagem” nunca se igualará ao de um profissional.

Então é isso…  Vamos parar por aqui, pois eu já fiz você ler demais (se é que leu até aqui). Mas a mensagem é: 

“Não pense que você não pode empreender online, simplesmente porque você não entende de tecnologias. Elas importam muito menos do que você imagina”.



“Aos vinte e poucos anos eu decidi que iria aprender a “ganhar dinheiro na internet”. Aos trinta ainda não sei quase nada. Mesmo assim, tive a cara de pau de criar este blog para ensinar você como fazer isso.” [...] Continue lendo

{ 0 comentários… Clique aqui para comentar }

Deixe um comentário