Começando os trabalhos com a Hinode

Uma das intenções que tive quando iniciei este meu “blog pessoal” foi a de poder documentar toda a atividade relacionada a minha jornada de empreendedor solo,  trabalhando a partir de casa. A ideia é poder arquivar os conhecimentos adquiridos para minhas futuras pesquisas e, assim, transmitir um pouco do que aprendi – e fiz – à quem acompanhar o que escrevo.

Então esse post fará parte de uma série, onde relatarei meus esforços, meus problemas e meus resultados junto ao meu mais novo empreendimento. Será como um diário de bordo, para que eu possa, lá na frente, fazer consultas e relembrar todo o trajeto – embora saiba que não haverá necessidade de refazê-lo novamente. Vamos ao post…

Um dos modelos de negócios que utilizo para trabalhar em casa é o marketing multinível – na verdade, o principal deles. E já faz algum tempo (10 meses, aproximadamente) que eu estou apenas como espectador da indústria, sem, de fato, envolver-me com nenhuma empresa. Então, alguns dias atrás, mais precisamente no dia 1° de abril (não, não é mentira) eu me juntei a minha última empresa de marketing multinível, a Hinode.

Assim, esse post tem 17 dias de atraso, mas antes tarde do que nunca… E o que quero com ele é registrar aqui o que me fez vir a trabalhar com essa empresa, pra que toda vez que eu venha a ter alguma crise de valores, possa voltar aqui, reler meus próprios motivos e nortear-me novamente. Eu não sei com você, mas as vezes esqueço o motivo de minha decisões. 🙂

E isso não pode acontecer no marketing multinivel – ou você está muito convicto do “seu porquê“, ou você esta no lugar errado. No MMN não há espaço para dúvidas – é impossível vender uma ideia que você próprio não comprou. Então, como sei que problemas virão e que em algumas vezes eles podem me fazer, momentaneamente, esquecer porque eu decidi pela Hinode, vou logo anotar tudo aqui…

Enquanto escrevo esse post, o marketing multinivel passa por uma crise de identidade no Brasil, que teve seu auge em 2013. Nesse ano, nunca tanta gente se envolveu com negócios que nada tem a ver com multinivel, mas que se auto-nomeiam com sendo MMN. Milhares de brasileiros começaram a fazer parte de supostas “empresas”, pra não falar esquemas financeiros, e a dizer “eu trabalho com marketing multinivel”.

E assim que o governo brasileiro acabou com a farra, o refrão passou a ser…

“Multinivel é proibido no Brasil”… “País bom é os Estados Unidos, onde o MMN é bem visto”.  Hehehe..

Eu não vou me aprofundar nesse mérito aqui neste post, mas a verdade é que o marketing de rede nunca foi proibido no Brasil e esquemas financeiros nunca foram permitidos nos Estados Unidos. Tanto, que nesse exato momento a corte americana está pondo fim a um desses esquemas que prefiro não falar o nome.

Mas, antes de chegarmos a esse ponto, a indústria multinível sofreu muito. Tivemos um ano de guerra e muitas baixas, pois é impossível lutar contra um inimigo tão covarde. E foi aí que eu acabei “dando um tempo.” Pra mim, os valores se perderam completamente…

Porque vestir a camisa da Hinode

E é por isso que escrevo este post, para que em hipótese alguma eu perca meus valores de vista algum dia. Eu optei pela Hinode porque acredito que ela é o que pode existir de mais genuíno em termos de marketing de rede, e que é capaz de extrair das pessoas o máximo de crescimento que elas podem ter.

Durante esses 17 dias, o senso de grupo, de união, de ajuda mútua que tenho percebido chegam a níveis de relação familiar e as perspectivas são sempre de “CONSTRUÇÃO” de um negócio – por anos. E não de loteria.

Essa empresa tem 25 anos de estrada, o que por si só é um forte indicador de credibilidade. E embora isso não seja garantia de sucesso nenhum para mim, ao menos garante-me que eu estou envolvendo-me com pessoas que estão no mercado por anos, o que não é digno de quem pensa em fazer alguns milhões e “pular fora”, como temos visto aos montes nos últimos meses.

Fora toda essa carga de princípios e valores baseados em ética e moral que encontrei na empresa, segue uma lista com as vantagens que percebo, para quem desejar envolver-se com o negócio Hinode:

  1. 25 anos de idade (como já falei)
  2. Empresa brasileira
  3. Ampla linha de produtos (as vésperas de entrar na indústria da nutrição)
  4. Produtos com demanda estabelecida
  5. Fabricação própria
  6. Projeto de expansão internacional
  7. 100% de lucro na revenda (daí ser vendas diretas genuínas)
  8. Plano de bonificação extremamente compensador
  9. Programa de treinamento incrível (o mais importante que uma empresa deve oferecer)

E como se tudo isso não bastasse, a Hinode está adotando o sistema binário, o que tornará seu plano o mais agressivo do mercado, em termos de pagamento de bônus. Fiz alguns cálculos aqui e comprovei que não tem pra ninguém.

Mas, eu não quero falar de dinheiro, dinheiro, dinheiro. Afinal, este post é justamente pra falar de valores e fazer-me lembrar – e a você também – que marketing multinivel deve ser entendido como algo muito além de meros cifrões.



“Aos vinte e poucos anos eu decidi que iria aprender a “ganhar dinheiro na internet”. Aos trinta ainda não sei quase nada. Mesmo assim, tive a cara de pau de criar este blog para ensinar você como fazer isso.” [...] Continue lendo

{ 1 comentário… Clique aqui para comentar }

  • marcos dresbach do amaral 26/10/2015, 1:55 pm

    ola gostaria de parabenizar a quem acredita na hinode
    sou menbro minha vida esta mudando hoje estou tendo liberdade finaseira sou de familia pobre filho de construtor civil e de uma faxineira
    e deploravel a condisao que o brasil esta hoje mizeria fome
    mais dizem ai que a crie esta abalando o pais
    nao acho pois eu e vc presizamos de perfumes chanpoo sabonet creme dental
    isso ainda vende bem
    o mmn marketing multinivel e a melhor opsao no brasil
    obrigado

Deixe um comentário