Coca-cola e marketing de rede, o que tem a ver?

Todo dia alguém cruza seu caminho com teorias do tipo “marketing multinível não é um negócio legítimo”? Se responder que sim, digo-lhe que não se preocupe, pois você não é o único a padecer desse mal. Se responder que não, serei obrigado a dizer-lhe que você não está trabalhando no ritmo que deveria.

É impossível estar a mostrar o plano todo dia sem que ao final da semana você tenha acumulado na bagagem duas ou três histórias de pessoas que, além de não se cadastrarem em sua empresa, ainda tentaram lhe dissuadir do negócio com suas crenças céticas.

E as artimanhas são muitas: desde jurar pela mãe que “isso é uma pirâmide”, até aquelas continhas que mostram que seguindo o plano de marketing, em apenas seis meses toda a população do planeta já estaria cadastrada e que, por isso, o negócio é inviável.

Bem, meu amigo, se você quer ser grande nessa indústria, não tem como fugir disso. Não tem como deixar de cruzar seu caminho com pessoas desinformadas e desconhecedoras de nosso modelo de negócio. E, a última coisa que você deve fazer, se realmente pretende ser um líder de sucesso, é se irritar com elas e tentar combatê-las com discussões acaloradas.

Em alguns casos, isso é o que elas realmente desejam: que você perca a cabeça. Mas, quando esse não for o caso, e a pessoa estiver agindo ceticamente por pura inocência no assunto, o que você deve fazer não passa de ser exercer o seu trabalho, que é informar essa pessoa corretamente acerca da indústria do marketing de rede e da empresa que você representa.

Como apresentar produtos de marketing de rede

Agora, o que fazer com as pessoas que apelam e fazem considerações ridículas sobre alguns produtos comuns de nossa indústria? Por exemplo, o que dizer ao sujeito que ao final de sua apresentação dá aquela risadinha e diz: “bem, mas esse shake é um produto supérfluo, do qual as pessoas não tem necessidade e que só o compram para participarem do plano de remuneração” ou “ninguém precisa desse suco para viver e a única razão que vejo de alguém o comprar é para tentar ganhar algum dinheiro em cima”.

O que responder à alguém com essa mentalidade? Na verdade, fico aqui dando alguns conselhos, mas devo admitir que na prática nem todas as vezes chego a os seguir. E esse post chega mesmo a ser um desabafo, por que se tem algo que me deixa maluco é esse tipo de comentário (acho-os muito piores do que a comparação com pirâmides ou as contas sobre recrutamento mundial).

É como se o sujeito parasse de enxergar o resto do mundo e focasse em apenas procurar um defeito no que lhe está sendo apresentado no momento. Será que ele não percebe que as pessoas não precisam de 90% das coisas que elas compram? Se formos levar a cabo a idéia de só comprar o que realmente precisamos para viver, não compraríamos mais que alimentos, vestimentas e pronto. Só isso!

Pois está provado (sobretudo no Brasil) que nem de um teto precisamos para nos manter vivos – a menos que alguém nos ateie fogo enquanto dormimos embaixo de alguma marquise. Ou seja, quase tudo é supérfluo – inclusive, até alguns alimentos. Ou você acha que o ser humano realmente necessita do requinte que existe na culinária atual para manter-se nutrido? Claro que não.

A economia mundial não se sustenta apenas das necessidades primárias do ser humano. Pelo contrário, os mercados vivem de movimentar produtos que, na realidade, todos continuarão vivos se não os comprarem.

coca marketing multinivel

Marketing multinível é igual a qualquer marketing

E o trabalho do profissional de marketing de rede é criar mercado para o produto de sua empresa assim como qualquer outro profissional de marketing. Como por exemplo alguns anos atrás, quando todos vivíamos sem celular e publicidades começaram a nos dizer que eles eram imprescindíveis. A ponto de hoje terem ganhado papel tão importante em nossas vidas.

Será que naquela época esse mesmo sujeito cético falou que aquilo se tratava de um produto supérfluo, que estava sendo posto no mercado apenas para fazer alguém enriquecer? Ou será que ele não falou nada e hoje só está resmungando porque o produto que lhe foi apresentado é de uma companhia de marketing de rede?

Então, ele tem algo contra o produto mesmo ou simplesmente um preconceito contra o MMN? Não seria o ataque ao produto apenas sua maneira de atacar a indústria? Eu creio que a opção dois seja a mais coerente.

Como sabemos, em geral os produtos da indústria MMN são de qualidade superior aos produtos expostos em prateleiras de supermercado e é justamente por isso que as empresas de MMN procuram pessoas que façam a promoção desses produtos “boca a boca”, pois 30 segundos de um comercial de TV não seriam capazes de explicar as qualidades que lhe fazem um pouco mais caros.

Porém, dizer que qualquer produto é algo supérfluo ou, pior, que um produto de uma empresa MMN só vai ser vendido para quem desejar participar dos ganhos da companhia é algo de extrema imaturidade. Olhe nesse instante ao seu redor e veja quantas coisas estão a sua volta, penduradas na parede de sua casa, em cima do centro de sua sala e que você comprou sem que houvesse nenhuma necessidade vital para elas.

A questão é que existe cliente pra tudo, amigo, mesmo sendo “quase tudo” supérfluo. Então não entre na paranóia pessimista dos outros e quando alguém lhe fizer alguma alegação dessa natureza, entenda que provavelmente o sujeito apenas tem um preconceito contra o MMN e não contra o produto em si.

E que, como sempre falo, por mais que você tente, dificilmente mudará a opinião de quem “não quer mudar”. Então, como não há muito o que fazer – e explodir não é uma opção, quando alguém lhe disser que seu produto não encontrará mercado por não ser algo necessário às pessoas, utilize-se do ícone dos produtos “desnecessários”, que mesmo assim se tornou uma das marcas mais valiosas do mundo, e responda com a seguinte pergunta: “por acaso Coca-cola é um bem de primeira necessidade?”.



“Aos vinte e poucos anos eu decidi que iria aprender a “ganhar dinheiro na internet”. Aos trinta ainda não sei quase nada. Mesmo assim, tive a cara de pau de criar este blog para ensinar você como fazer isso.” [...] Continue lendo

{ 21 comentários… Clique aqui para comentar }

  • Reensieg 09/10/2014, 6:45 pm

    Perfeito!

  • Alan R. Menezes 28/04/2013, 12:16 am

    Ótimo artigo! Parabéns! muito esclarecedor.

  • Walter Almeida 09/03/2013, 10:26 am

    Compreendo seu artigo e desabafo,por vezes estamos trabalhando e nos deparamos com pessoas assim,as vezes elas estão próximas,ao nosso lado,são nossos conjugês ou familiares,sem dúvida nenhuma manter-se firme e tranquilo é a melhor opção.Relatarei o que ouve comigo,minha esposa é,ou melhor era cética a esse respeito,mas com o passar do tempo começou a ver os “resultados”,não estou falando de grana,um dia num gesto de boa vontade convidou sua irmã para o meu negócio e ao ver sua irmã abraçar a proposta de imediato e comentar as vantagens que ela própria tem vivido em não ter patrão,me pediu para cadastrar as duas em minha rede,sendo sua irmã sua primeira dowline.Moral da história,não perca a fé,aprendi um pouco mais com isso e estou aperfeiçoando minhas apresentações.

    Um abraço e parabéns pelo site e fanpage.

  • Geremias De Assis Antunes 01/11/2012, 12:22 pm

    Sinto-me, grandemente, enriquecido quando posso me "nutrir" com um belíssimo Artigo tipo esse…
    PARABÉNS !!!
    Geremias de Assis Antunes
    Vila Velha – ES
    Quinta-feira, 01 de novembro de 2012
    10h21min

  • Juliano Maltese 31/08/2012, 7:54 pm

    Olá Pablo,

    Muito bom o conteúdo de seu artigo.

    Valeu!

    Juliano Maltese

  • Marco Monteiro 17/08/2012, 10:06 am

    Parabens pelo Artigo, muito bem conseguido!

  • Peterson Teixeira 15/08/2012, 12:52 pm

    HAHAHAHAHA Chorei de rir na parte "… em apenas seis meses toda a população do planeta já estaria cadastrada e que, por isso, o negócio é inviável."

    Mas foi o que o meu amigo no cargo maximo do negocio que estou disse:
    "As vendas sao tranquilas, porem no patrocinio, voce chama 20 e apenas 2 aceitam, poucos tem visao de negocios no Brasil"

    Somos criados totalmente DIFERENTES dos EUA, la eles sao criados desde pequenos para serem empresarios, e nos aqui sonhamos com "um bom emprego"

    DANE-SE ISSO !

    Abcs otimo artigo!

  • Ariane Rodrigues 18/07/2012, 4:12 pm

    Ok… Gostei muito, afinal, em cada apresentação (seja lá qual for a sua empresa) estamos vendendo uma idéia, idéia de MMN, duplicação, alavancagem, somar tempo e esforço, ajudar pessoas, formar líderes e gerar resultados sólidos através de um elenco de benefícios que só o MMN pode proporcionar nesse processo de recrutar pessoas. Ou seja, vendemos uma idéia! O “produto” muitas vezes acaba ficando em segundo plano. Inicialmente, as pessoas se interessam pela renda, e pelo plano de carreira, reconhecimento, realização de sonhos engavetados etc… E aí com o tempo, começam a entender o que é realmente o produto e/ou o benefício que agora a pessoa está representando, e aí então passa a dar valor pra eles! Por isso mais uma vez considero o post muito bom, Pablo.

    Antes de começar a escrever meu comentário, dei uma corrida na página para ver os comentários de outras pessoas, e só agora notei que temos tbm aqui opiniões daqueles que chamamos de céticos, e estou achando isso aqui cada vez mais interessante.

  • Ricardo Ferreira 18/07/2012, 2:15 am

    Bom, em alguns anos trabalhando com pessoas, descobri que não é o produto ou determinada companhia ou o MMN, e sim o indivíduo, geralmente quem critica realmente o faz pro frustração ou por incredulidade, este indivíduo geralmente deseja ter sucesso mas a sua opinião foi construída por uma mente fraca ou por não acreditar em si mesmo, e com certeza já participou de alguma companhia de MMN e não prosseguiu por falta de persistência ou mau acompanhamento de seu patrocinador. Espero que se você que leu este artigo e está lendo meu “post” se dê uma chance, invista em si mesmo, dedique-se de coração e trabalhe duro afinal de contas o MMN nunca prometeu que seria fácil, tem que ter persistência. Sucesso a todos!!!

  • FERNANDO GUERRERO 17/07/2012, 1:23 pm

    Parabens pelo Artigo, realmente nos surpreende com a matéria!

  • Silas Batista 11/07/2012, 2:57 am

    Matemática é uma ciência exata. Uma mentira quando é muitas vezes pregada, em muitos lugares e ao mesmo tempo, fica parecendo verdade. Um argumento matemático é hábil para provar tudo o que pode ser expresso em números. Toda unanimidade é perigosa e isso geralmente ocorre quando pessoas que pensam igual expressam opiniões para iguais. Tenho alguns amigos que participaram da Amway há 20 anos atrás. Arruinaram suas vidas acreditando que ficariam ricos sem trabalhar (apesar de trabalharem dia e noite, todo o dia, o dia todo na esperança de que isso fosse ocorrer). Alguns acreditaram tanto, com tanta força, que se tornaram frustrados com o que são hoje. Estão no limiar de serem insuportáveis. Tentam provar alguma coisa o tempo inteiro. Obviamente que essa é só minha opinião. Concorde ou discorde com a ótica desse "desinformado", "cético" e "desconhecedor dessa indústria", tenha a humildade de considerar opiniões contrárias. Se você for pioneiro na sua região a chance é maior, caso contrário amigo, dê mais credibilidade à matemática e aos idiotas. Idiotas podem ser casos de sucesso. Não faz muito tempo, um dos maiores idiotas do colégio e da faculdade era o homem mais RICO do mundo. Bill Gates acreditava em matemática e sempre foi bom nisso. Eu também sou idiota, pois só sei que nada sei e que 3 mais 3 é seis, não um milhão. BOA SORTE!

    • Jean Caminha 11/07/2012, 11:20 am

      Silas, uma vez perguntei a um comerciante bem sucedido de Porto Velho como ele calculava suas margens de lucro e ele disse: – "é simples, compro por 1, vendo por 3 e ganho 2%.

    • Silas Batista 11/07/2012, 12:18 pm

      Pois é, apesar de não saber calcular porcentagem, ganhava 200% em cada item vendido.

    • Thomaz Leite 11/07/2012, 3:33 pm

      Nunca li um texto tão idiota. A quem trabalha com esse tipo de "coisa", aprenda a fazer/vender algo que tenha valor intrínseco e não baseado em especulação.

    • Pablo™ 11/07/2012, 2:22 pm

      Silas, embora tenha fugido um pouco do tema do post, achei seu comentário bem fundamentado e pertinente. Tão bom que ao tentar respondê-lo, acabei escrevendo um novo post, onde o citei e dei MINHA OPINIÃO a respeito. Você pode ler o artigo neste link. Obrigado pelo comentário e seja sempre bem vindo.

  • Alexandre Kamimura 05/07/2012, 2:12 am

    Obrigado por repartir seus conhecimento sobre o mercado MMN, aprendo muita coisa aqui e esta sendo fundamental em minha vida, seu trabalho e brilhante, parabéns e aguardo seu próximo artigo…

  • Dalton Teres 28/06/2012, 3:25 pm

    De mais… muito bom o artigo!!! Eu vendo produtos da Polishop e já passei por uma situação assim: Eu falei que trabalhava com a Polishop, e quando mostrei um produto de +/- R$ 120,00 a pessoa disse "Ah não, eu já comprei um igual esse ai por R$ 15,00 e não funciona, é uma porcaria", olha o racícinio desse pessoal, eles pagam R$ 15,00 num negócio para dizer que aquilo não funciona, se eles querem que algo funcione com qualidade tem que pagar o preço que vale!!! Mas é didícil convencer os legítimos "brasileiros".

  • Silvio Pereira Vale 28/06/2012, 10:25 am

    boaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

    • Evandro Reis 25/10/2012, 8:33 pm

      A minha empresa de MMN é tão boa que permite que todos os membros de outras empresas de MMN se cadastrem em nosso sistema gratuitamente como autônomos, e ainda permite que façam qualquer tipo de publicidade e propaganda de produtos ou serviços que já trabalhem através da postagem de vídeos, fotos ou textos em nosso portal publicitário com link personalizado e sem nenhum custo para isso.Temos o sistema mais fácil, rápido e sem metas para você ganhar o seu primeiro milhão em menos tempo.informe-se e faça o seu cadastro

  • Anônimo 27/06/2012, 10:44 pm

    Parabéns pelo artigo Pablo, mais uma vez você superou expectativas. Isso prova que você está à frente das tendências, principalmente do MMN, que parece estar a cada dia mais complicado de se trabalhar. Mas por um lado isso é até bom, pois, prova que nossa indústria não é para qualquer um. Só os campeões fazem sucesso! Esse tipo de comentário sobre os produtos é ridículo, já os ouvi à revelia. E quando falam que o preço dos produtos está fora da realidade dos brasileiros! É mais fácil estar fora da realidade da pessoa que o diz. E para os operadores de rede que não terão sucesso, acreditam nesse tipo de comentário, pois na verdade são preguiçosos, que não buscam os verdadeiros consumidores de seus produtos. Produtos estes, que nos trazem saúde, e não produtos que "amolecem até os ossos" como dizem da coca. No mais, parabéns pelo artigo.

  • Roque Santos 27/06/2012, 10:16 pm

    Pode ser que de agora em diante (coisa que duvido) voce só escreva coisas que não me interessam nem de longe, mas tudo que diceste acima parece estar descrevendo a minha situação perante as pessoas que tento trazer para o meu negócio, felizmente estou vacinado e o que quero em MMN é tão forte e sei que dá certo com tanta convicção que não conheço nimguém capaz de abalar essa fé, bem primeiro em DEUS depois em mim mesmo. Gostei muuuuuito do que voce escreveu, e obrigado por existir.

Deixe um comentário